Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

De acordo com uma estimativa da Organização Mundial da Saúde (OMS), publicado no estudo “Depressão e outros distúrbios mentais comuns: estimativas globais de saúde”, divulgado em 2017, aproximadamente 320 milhões de pessoas no mundo têm depressão. No Brasil, esse transtorno atinge cerca de 11 milhões de pessoas

O Dia Mundial da Saúde Mental, comemorado em 10 de outubro, busca promover iniciativas para a construção de práticas que combatam as doenças psicológicas. Hoje, a OMS (Organização Mundial da Saúde) coloca o Brasil em primeiro lugar no ranking internacional de países com maior número de pessoas afetadas pelo transtorno da ansiedade, sendo 18,6 milhões de brasileiros com o problema.

Metade de todas essas condições começa por volta dos 14 anos de idade, mas, na maioria dos casos, o problema não é detectado e nem tratado. As consequências nesta fase se estendem à idade adulta, prejudicando o desenvolvimento e trazendo limitações ao indivíduo. 

Auxílio doença

A Depressão é uma das maiores causas de aposentadoria por invalidez ou por concessão de auxílio-doença, de acordo com o último estudo sobre o tema, divulgado em 2017 pelo Governo Federal.

“É muito importante oferecer ambientes de trabalho saudáveis. Promovendo uma boa convivência entre patrões e empregados, a contribuição para a promoção e proteção da saúde mental e física de todos”, enfatiza O psiquiatra Edson Kruger. 

Sinais como: cargas elevadas de trabalho, insegurança laboral, comunicação ineficaz e falta de clareza na definição das funções, podem interferir na vida do funcionário. O importante é sempre estar atento à esses sinais e procurar ajuda imediatamente, “para que não haja evolução de algum transtorno ou dependência”, finaliza.

Social 

A pressão diária de atingir metas, a correria diária, momentos de tristeza e crises de ansiedade, são alguns dos fatores que influenciam não só a nossa saúde física, mas também a mental. O psiquiatra Edson Kruger, alerta que a maneira de como alguns trabalhos são conduzidos dentro das empresas e instituições, podem desencadear algum tipo de transtorno. “Além de ansiedade e depressão, é comum recebermos pessoas que começaram a utilizar substâncias lícitas, como o álcool, e ilícitas com o intuito de relaxarem, e esquecerem por algum momento os seus cotidianos. Entretanto, acaba virando um vício”, explica.

Muitas empresas têm investido em programas de saúde mental para os seus empregados. De forma sigilosa e sem expor os funcionários, uma equipe de psicólogos e psiquiatras ficam à disposição para orientarem e iniciarem o tratamento, em prol da saúde mental deles.

Folha vitória